Dar uma mesada ensina os filhos a gerir melhor o dinheiro Dar uma mesada ensina os filhos a gerir melhor o dinheiro

Dar uma mesada ensina os filhos a gerir melhor o dinheiro

min de leitura

Uma mesada ensina os filhos a perceber o valor do dinheiro e, a partir de uma certa idade, nada como aprender a lidar também com contas e cartões bancários.


Publicado em 29-Ago-2023

Qual deverá ser o valor da mesada a dar aos filhos? Antes ainda, por que razão é importante dar-lhes essa mesada? Duas perguntas às quais vamos procurar responder neste artigo, sabendo, evidentemente, que o valor da mesada vai depender essencialmente da disponibilidade financeira da família (e do número de filhos, e a suas idades). Mas existem algumas fórmulas para ajudar a fazer esse cálculo, às quais já chegaremos porque, antes, é importante referir que a mesada é um mecanismo muito importante para preparar crianças financeiramente mais estáveis e responsáveis no futuro.

Dar uma mesada ensina os filhos a gerir melhor o dinheiro | Unibanco
Shot of a little girl learning about money from her grandfather

Shot of a little girl learning about money from her grandfather

Desde logo porque, num mundo onde o apelo ao consumo é constante, este contacto com o dinheiro desde uma tenra idade vai permitir aprender a superar a frustração de querer algo que não se consegue comprar, e a saber esperar e poupar até alcançar esse objetivo. Evidentemente que entregar apenas o dinheiro na mão da criança não será uma grande lição sobre o mundo financeiro, e por isso é importante os pais acompanharem essa gestão, apontando os diferentes caminhos e alternativas…

Como ensinar uma criança a poupar? Não é uma tarefa fácil…

Primeiro é importante perceber que acompanhar a gestão não significa gerir. Devem ser as crianças a decidir o que fazer ao dinheiro, e os erros fazem parte dessa aprendizagem. O importante é apontar os melhores caminhos, focando-se obviamente na importância da poupança, mas também na necessidade de sermos solidários para com os menos favorecidos, incentivando, por exemplo, a ceder parte dessa poupança em donativos.

Dar uma mesada ensina os filhos a gerir melhor o dinheiro | Unibanco
The boy plays with the children's cash register. financial literacy for children.

The boy plays with the children's cash register. financial literacy for children.

A mesada não pode ser entendida como um prémio, mas sim como um direito. Que, por sua vez, gera o dever nos filhos de aprenderem a lidar com o dinheiro de forma responsável. Se for encarada como uma aprendizagem, percebe-se porque não pode ser nem um prémio nem um castigo, que se dá ou tira consoante o comportamento.

O valor da mesada deve ser fixo, e não pode vaguear à medida das necessidades da criança. Só desta forma os pais estarão a educar um adulto responsável, e não alguém que acredite que pode sempre pedir mais.

A mesada não deve ser dada a troco de tarefas domésticas − e menos ainda do aproveitamento escolar. É necessário passar a mensagem de que, numa família, existem tarefas para as quais todos devem contribuir − fazer a cama, colocar a loiça na máquina, etc – sem esperar recompensa. De contrário, corre-se e o risco de ensinar as crianças a exacerbar o valor do dinheiro ou que tudo o que fazem deve ter uma recompensa – ‘o que ganho com isso?’ será a pergunta deles. Nestes casos, também, é perfeitamente possível que decidam abdicar desse dinheiro sempre que não estiverem com vontade de cumprir uma das tarefas.

Dar uma mesada ensina os filhos a gerir melhor o dinheiro | Unibanco
Cute boy washing a car on a hot summers day.

Cute boy washing a car on a hot summers day.

Por outro lado, pode e deve-se incentivar os filhos a realizar outras tarefas para ganhar dinheiro extra. Lavar as janelas, o automóvel ou fazer baby-sitting são exemplos de tarefas que podem perfeitamente estar fora das atribuições normais da criança, e que por isso devem ser remuneradas. Isso incentiva a ética de trabalho nos mais novos, levando-os a fazer um esforço extra para aumentar o rendimento, e possivelmente ensina-os também a gastar de uma forma mais responsável − afinal, se o dinheiro ‘custou a ganhar’, talvez não seja boa ideia gastá-lo levianamente em coisas supérfluas.

Notas ou contas? Enquanto os mais novos estão a dar os primeiros passos na aprendizagem financeira, é conveniente que recebam notas e moedas. Desta forma podem “ver” o dinheiro, pagar nas lojas, receber o troco e fazer bem as contas. Poderá instituir essa mesada logo quando entram para a escola, e nesse período poderá também ser mais conveniente dar uma semanada, em vez da mesada, uma vez que a gestão a “longo prazo” do capital pode ser mais difícil de apreender. Mais tarde, a partir dos 10 ou 12 anos (sensivelmente), pode então alterar a periodicidade e introduzir também alguns dos instrumentos bancários que os vão acompanhar ao longo da vida.

Conta UNIBANCO

A conta UNIBANCO é perfeita para a gestão da mesada, uma vez que permite seguir todos os gastos e, inclusivamente, divididos por categoria. Assim será muito mais fácil para pais e filhos acompanharem tudo o que está a acontecer. Isto é feito de modo muito simples na App – no início da adolescência as crianças já dominam evidentemente estas ferramentas.

Dar uma mesada ensina os filhos a gerir melhor o dinheiro | Unibanco

A conta é perfeita, também, porque tem associado um cartão pré-pago – virtual por definição, mas pode ser pedido um cartão físico sem qualquer custo associado − que permite fazer todos os pagamentos e levantamentos de forma rápida e segura.  Uma vez que é pré-pago a responsabilidade limita-se ao valor que estiver carregado no cartão. Os carregamentos, esses, são imediatos e podem ser feitos com um valor mínimo de 10 euros.

Valores em cima da mesa(da)

Mais difícil do que decidir dar uma mesada será, então, decidir o valor. Existem algumas fórmulas para fazer esse cálculo e uma das mais divulgadas fala num euro, por semana, por ano de idade. Ou seja, uma criança com 10 anos ganharia 40 euros por mês. Mas se forem duas, uma com 10 e outra com 15, o valor já mensal subiria para os 100 euros, razão pela qual muitas outras teorias preferem falar em 50 cêntimos, o que daria 20 euros para o mais novo e 30 para o mais velho − cortando efetivamente esse valor para metade.

Outra boa fórmula de cálculo é fazer uma estimativa do valor que já gasta, mensalmente, com o seu filho e tomar esse valor como referência. Desta forma, passaria para ele a gestão dos seus gastos mensais, descontando evidentemente as despesas em casa ou com a educação.

Dar uma mesada ensina os filhos a gerir melhor o dinheiro | Unibanco
In Western Colorado Millennial Female Mother with Teenage and Pre School Age Daughters Handling and Counting Money and Passing Our Allowances Training How to budget and be good stewards of resources Photo Series with Matching 4K Video Available (Shot with Canon 5DS 50.6mp photos professionally retouched - Lightroom / Photoshop - original size 5792 x 8688 downsampled as needed for clarity and select focus used for dramatic effect)

In Western Colorado Millennial Female Mother with Teenage and Pre School Age Daughters Handling and Counting Money and Passing Our Allowances Training How to budget and be good stewards of resources Photo Series with Matching 4K Video Available (Shot with Canon 5DS 50.6mp photos professionally retouched - Lightroom / Photoshop - original size 5792 x 8688 downsampled as needed for clarity and select focus used for dramatic effect)

Com esta fórmula de cálculo, pelo menos, sabemos que a mesada estará em linha com o orçamento familiar disponível. De qualquer forma, mesmo tendo a sorte de possuir recursos muito superiores aos valores aqui avançados, é importante refrear a generosidade, ou serão poucas as lições a retirar da “operação mesada”.

Por C-Studio / Cofina Media

Club7, mais do que um clube

Club7, mais do que um clube

Carolina Melo Duarte e Bruno Nunes contam como foi transformar um santuário de bem-estar em algo ainda mais completo e único.