Os melhores tablets que já pode comprar Os melhores tablets que já pode comprar

Os melhores tablets que já pode comprar

min de leitura

Estes são os melhores tablets à venda no mercado. A pensar na diversão e no trabalho, e para todas as gamas de preço.


Publicado em 04-Nov-2022

Os melhores tablets vão muito para além da ideia de um smartphone com um ecrã maior. São máquinas de trabalho, quase tão produtivas como um laptop, poderosas como uma consola de jogos, ou então podem ser apenas um excelente ecrã, com melhores colunas, prontos para os mais variados momentos de lazer.

A oferta é vasta, mas infelizmente tantos aparelhos confundem na hora de escolher. Assim, porque encontrar o melhor tablet pode ser uma tarefa complicada, damos uma ajuda, analisando os melhores no mercado e comparando as especificações para perceber o que sabem realmente fazer.  Sabendo, de antemão, que a melhor ajuda será contar com o cartão de crédito Unibanco, que permite adquirir qualquer um destes aparelhos em total segurança, podendo ainda fracionar o pagamento em 3x, sem juros, e assim diluir o impacto na conta mensal.

iPad

O iPad é claramente o tablet mais famoso de todos, mas do Pro ao Mini, existem hoje mais versões de iPads do que de iPhones, o que pode complicar a escolha. Este é o modelo original, o iPad-sem-mais-nada-à-frente, e a Apple acaba de lhe fazer um update. O que mudou? Para começar, deixou cair a entrada Lightning e passou a usar a mesma USB C que os MacBook (ou todos os outros Android). A câmara frontal também mudou de sítio, passando para o centro em modo landscape − a posição preferencial do iPad nas ligações em vídeo. Ou seja, agora já não é necessário ficar a olhar estranhamente para o lado nas videoconferências. A câmara traseira teve um upgrade para os mesmos 12 MP da câmara frontal, e a moldura ficou mais fina, o que não só lhe confere um look mais elegante como permite um ecrã um pouco mais largo, com 10,9 polegadas. Já o processador, passou a ser o A14, inaugurado no iPhone 12. Não será o mais avançado da marca da maçã, mas é poderoso o suficientemente para manter este iPad em forma nos próximos tempos. Preço: desde 599 euros.

Tablet Redmi Pad

A Redmi é a linha secundária da Xiaomi, mas olhando para a armação em metal deste Redmi Pad, ninguém diria. Na estreia da marca no setor, o toque é verdadeiramente premium e as especificações não ficam atrás, sobretudo no grande ecrã de 10,61 polegadas, de 90 Hz e baixa luz azul, que protege os olhos e diminui a fadiga ocular (tem mesmo várias certificações que o comprovam). Possui altifalantes quádruplos que suportam Dolby Atmos, para uma experiência ainda mais imersiva, e a câmara frontal de grande-angular mais a tecnologia FocusFrame garantem que ninguém vai ficar de fora nas videoconferências em grupo.  Preço: desde 329,99 euros

Samsung Tab S6 Lite

Os melhores tablets que já pode comprar | Unibanco

O Samsung Tab S8 Ultra é, facilmente, um dos melhores portáteis do mercado, mas aqui trazemos-lhe a entrada na gama, só porque as características surpreendem realmente, para o preço que se paga. Começamos num design elegante, mas bastante robusto, depois temos a inclusão da S Pen, o que facilita a tomada de notas e aumenta a produtividade. De origem, ou seja, não paga mais por isso, ao contrário da Apple, por exemplo. Tem um ecrã de 10,4 polegadas e uma bateria incrível, que dura facilmente para um dia passado ao ecrã. Traz colunas AKG, com Dolby Atmos e o Snapdragon 720 G ainda é bastante competente. Preço: 329,90 euros

Samsung Galaxy Z Fold 4

Sabemos que não é um tablet, mas aberto este smartphone apresenta umas muito respeitáveis 7,6 polegadas de ecrã, o que cai claramente na categoria de tablet (o iPad Mini, por exemplo, tem 8,3’’). Se a isto somarmos o facto de ser um dos melhores smartphones do mercado é, sem dúvida, a opção mais versátil e completa. Processador Snapdragon 8+ Gen1, novas funcionalidades de multitasking com a adoção de uma barra de tarefas inferior, semelhante ao ambiente Windows, câmara de 50 MP e zoom ótico de 3x, resistência à água, etc., etc., etc. Difícil resistir, a não ser, talvez, pelo valor. Preço: desde 1859,90 euros.

Microsoft Surface Pro 9

Se o Z Fold 4 é o melhor smartphone/tablet, o Surface Pro 9 é o melhor tablet/laptop, desde logo, obviamente, por vir com Windows e com a última geração de processadores intel (i5 ou i7), embora tenha agora, também, a opção de escolher um processador baseado em arquitetura da Qualcomm. O suporte integrado, que mantém o tablet em pé, e o teclado Surface Pro Signature ajudam, e é muito provavelmente o tablet que responde melhor ao input da caneta, ou seja, o melhor para tirar notas, fazer desenhos ou anotações. Tem duas portas USB C, mais a porta proprietária da Microsoft para carregar, o que seria dispensável, uma vez que os USB C fazem o mesmo trabalho. Visualmente não é muito diferente do predecessor, o que neste caso é um ponto positivo (não será por acaso que, a cada geração, os iPad aproximam mais o seu design dos Surface) mas oferece diferentes cores novas por onde escolher. Preço: desde 1329 euros.

iPad Pro

O Pro é o melhor dos iPad o que, para muitos, significa o melhor de todos. Muito graças a um excelente ecrã de 12,9 polegadas Liquid Retina XDR, com uma relação de contraste de 1 000 000:1, e True Tone. Graças, também, ao novo sistema operativo iPadOS  16, às câmaras traseira e frontal (com Enquadramento Central) e ligações ultra rápidas, tanto em WiFi como 5G, mas, sobretudo, graças ao magnífico processador M2 dos iMac, que abre realmente as portas a um mundo de novas possibilidades. Preço: desde 1079 euros.

Lenovo Tab M10 Plus Gen 3

Agora para algo bastante mais em conta, o Lenovo Tab M10 Plus Gen 3 oferece uma excelente bateria para um dia inteiro de streaming (mais um alimentador de 100W), um grande ecrã de 10.6 polegadas com 2K de resolução, som envolvente com quatro colunas otimizadas com Dolby Atmos, a última geração Android, e um processador (Media Tek G80) que ainda se mantem bastante competitivo, apesar de ter já dois anos. Preço: 229 euros.

Por C-Studio / Cofina Media

Vítor Sobral, um chef na primeira pessoa

Vítor Sobral, um chef na primeira pessoa

Aos 55 anos é uma referência gastronómica e um dos nossos cozinheiros mais famosos, mas o seu segredo é muito simples: “fazer com que as pessoas comam bem”