Devia comprar um Airtag? Devia comprar um Airtag?

Devia comprar um Airtag?

Os Apple AirTag, tal como os Tile e as SmartTag, da Samsung, são pequenos gadgets que permitem encontrar coisas perdidas, mesmo a grandes distâncias.


Publicado em 23-Dez-2021

2021 vai ficar para a história como o ano em que deixámos de perder coisas. Ou, pelo menos, o ano em que se tornou muito mais fácil encontrá-las de volta, porque a Apple e a Samsung juntaram-se à Tile e apresentaram uns pequenos gadgets de localização permitem encontrar coisas perdidas, mesmo a grandes distâncias. A Apple chamou-lhes AirTag, e a Samsung SmartTag, e a Title, bem…Tile. São todas relativamente baratas, e funcionam mais ou menos da mesma maneira e, embora tenham algumas diferenças, o importante é nunca foi tão fácil encontrar as chaves do carro (ou o próprio carro), a mochila da escola, a carteira, o cão, o gato, o comando da TV, a mala de viagem…  Não é difícil ir acrescentado itens à lista.

São obviamente os gadgets perfeitos para cabeças no ar, mas na realidade podem ser muito úteis para qualquer pessoa.

Como funcionam?

Tudo o que precisa de fazer é adicioná-los ao seu smartphone, algo automático entre um iPhone e uma AirTag, ou entre um Samsung e a SmartTag, sendo que estes dois só funcionam mesmo nos seus ambientes. Para o Tile necessita de instalar uma app e criar uma conta, mas depois o processo é bastante simples, e é o único que funciona com qualquer dispositivo Android ou iOS.

Depois, para encontrar uma tag, basta clicar na opção find que, se estiveram dentro do alcance Bluetooth – à volta de 120 metros para Samsung e Tile, um pouco menos para Apple – vão começar a apitar. O Apple Air Tag e a versão + da Samsung Smart Tag funcionam ainda com banda ultralarga (UWB), o que permite também receber indicações visuais por meio de setas no ecrã, ou a distância em metros, para ser mais fácil de localizar. O Samsung incorpora até realidade aumentada nesta pesquisa.

Tile e SmartTag, mas não o AirTag, possuem ainda um botão para, por seu turno, fazer o telemóvel tocar. Botão que, no caso da SmartTag, pode ainda ser configurado para definir um qualquer automatismo numa Casa Inteligente. Por exemplo ligar as luzes ou o aquecimento.

Afastados do objeto – ou seja sem uma rede partilhada – os três permitem guiar até à última localização conhecida, o que por si só já poderá resolver o problema. Se não for esse o caso, então tiram proveito da sua comunidade de utilizadores para enviar a localização dessa tag perdida sempre que alguém se aproximar do objeto. Isto significa que quanto maior for a comunidade, mais fácil – e rápido – será de encontrar.  

A bateria em todos dura cerca de um ano, e pode ser substituída com alguma facilidade.

Quanto custam?

Os AirTag devem ser o produto mais barato da Apple. Custam 35 euros cada, mas pode optar por um pack de quatro por 119. Ou seja, poupa 5 euros em cada. Têm um senão, no entanto, pois não podem ser simplesmente presos a um porta-chaves, por exemplo, e necessitam de outro acessório que deve ser comprado à parte. Isto permite maior versatilidade, por um lado, mas obviamente encarece o preço final.

No Caso da SmartTag, da Samsung, tem duas opções, a mais simples por 29,90 euros e a Plus (+) por 39,90. Esta versão é a única que permite a pesquisa com realidade aumentada, embor aqui, também, só com os últimos (e mais poderosos) Galaxy: − a partir dos S21.  

A Tile é, sem dúvida, aquela que tem a oferta mais alargada de todas – talvez porque anda por cá há mais tempo. Temos assim um Tile Pro, o mais poderoso e com maior alcance. Por 27,99 euros. O Mate faz praticamente o mesmo, embora com menor alcance (72 metros), mas sobretudo menor preço (19,99). O Slim tem praticamente o tamanho de um cartão de cartão de crédito e é perfeito para usar na carteira, numa etiqueta de mala ou num portátil. Por 27,99. Já o Sticker é um pequeno localizador, tipo botão, com adesivo, para colar ao comando da TV ou a outro pequeno objeto.

E pronto, agora já só precisa de não se esquecer… de comprar um.

Por C-Studio / Cofina Media