Vinhos para as minhas férias algarvias Vinhos para as minhas férias algarvias

Vinhos para as minhas férias algarvias

min de leitura

Quando se vai à terra, é quase impossível não repetir pratos que só se come ou só sabem bem lá. Com o vinho certo, ainda dão mais prazer.


Publicado em 21-Jul-2022 por José Miguel Dentinho, jornalista

Há coisas que como sempre quando vou ao Algarve, nem que seja apenas uma semana, que é o que vai acontecer este ano. A primeira é, sem dúvida, frango grelhado na brasa, escalado, na companhia de salada montanheira e batata frita, mais vinho rosé ou tinto. A segunda é rodízio de peixe, na companhia de batata cozida e salada, mas também de xarém e açorda com alho e coentros, na companhia de branco ou rosé. Com sorte, para além dos carapaus e sardinhas, também temos habitualmente direito a lulas, barriga de atum, dourada, trombeteiro, biqueirão e outros peixes quando vamos aos nossos sítios habituais.

A terceira são as lulas e os choquinhos fritos à moda algarvia, que peço sempre com batata frita, mas que têm habitualmente a companhia de batata cozida e, para mim, vinho tinto. Claro que, como sou de lá, tenho dois restaurantes perto de Faro e outro em Ferragudo onde as consigo comer, porque não é um prato oferecido em todo o lado, pelo menos com os sabores tradicionais da região. Também gosto muito de lulas recheadas, mas são difíceis de encontrar e dão muito trabalho a fazer em casa. Na última vez que as comi, pedi um branco com mais estrutura e corpo, que as acompanhou muito bem. Mas pode ser um rosé como indico abaixo.

No Algarve, eu gosto mais de fazer este prato com a gamba branca de superfície, aquela que parece mais elegante do que as outras e aparece em todos os mercados da região nesta época do ano. Não a de fundo, que é de um tom vermelho bem vivo, que se desfaz com o calor. Por isso, gosto de saborear sobretudo crua (por isso tem de ser bem fresca), temperada apenas pelo frio do gelo e de raspas de casca de limão. Ficam mesmo irresistíveis na companhia de um bom espumante ou de um vinho verde branco. Por fim, temos os bifes, normalmente da vazia, com molho de pimenta, de preferência ao cair da noite numa esplanada, na companhia de vinho tinto, como é evidente. Eis as minhas sugestões.

Só Vinha

Produtor: Wine Man
Castas: Azal, Loureiro, Arinto e Alvarinho
Ano de colheita: 2021

Vinho verde de aroma fresco, no qual se salientam notas citrinas de toranja e tangerina e alguma pera, com boca elegante, fresca, com acidez marcada e final médio, com persistência de aromas citrinos e de geleia. Um vinho que deve ser servido a 10 ºC com peixe grelhado e mariscos cozidos, fritos ou grelhados. Experimente-o com gamba branca frita, na companhia de arroz branco para absorver o molho.

Vinhos para as minhas férias algarvias | Unibanco

Vinhos para as minhas férias algarvias | Unibanco

Adega Cooperativa Ponte da Barca Loureiro Premium

Produtor: Adega Cooperativa Ponte da Barca
Casta: Loureiro
Ano de colheita: 2021

Vinho de aroma intenso, em que se salientam notas herbáceas, minerais e de limão. Na boca, é fresco, com boa acidez e final muito longo, com notas citrinas de limão e toranja. Um vinho que ficará bem com camarões cozidos, arrozes e massas de peixe e marisco ou umas petingas ou biqueirões albardados fritos. Sirva-o a 8 ºC.

Vinhos para as minhas férias algarvias | Unibanco

Vinhos para as minhas férias algarvias | Unibanco

Fogueira Bairrada Rosé

Produtor: Quinta das Bágeiras
Casta: Baga
Ano de colheita: 2019

Vinho bairradino de aroma contido, no qual se salientam notas de framboesa, ameixa, um toque de madeira usada e geleia de frutos vermelhos. Na boca, é fresco, harmonioso, bom para o franguinho grelhado na brasa com batata bem frita e salada montanheira, mas também para sardinhas e outros peixes grelhados, e carnes vermelhas. Sirva-o a 12 ºC no copo.

Vinhos para as minhas férias algarvias | Unibanco

Vinhos para as minhas férias algarvias | Unibanco

Quinta dos Carvalhais Único

Produtor: Sogrape Vinhos
Castas: Touriga Nacional, Alfrocheiro Preto e mistura de castas tintas
Ano de colheita: 2017

Tinto do Dão de aroma fresco, elegante, complexo, com notas de ameixa preta, frutos silvestres, frutos secos e de bosque. Boca volumosa, mas também elegante, fresca e longa. Um grande vinho, que se pode beber agora, decantado, ou durante muitos mais anos, na companhia de pratos de carnes vermelhas grelhadas, fritas ou assadas no forno.  Nada melhor para um bife grelhado da vazia, malpassado, com molho de pimenta-preta e rosa por cima. Sirva-o a 16 ºC no copo, e vá apreciando devagar.

Vinhos para as minhas férias algarvias | Unibanco

Vinhos para as minhas férias algarvias | Unibanco

Por C-Studio / Cofina Media

Joana Limão: “Trabalho para ser feliz”

Joana Limão: “Trabalho para ser feliz”

A vida de Joana Limão não dava um filme, ainda é muito nova para isso. Mas tem tantos ingredientes (otimismo, alegria, boa comida…) que merece ser conhecida.
Ouvir