“As pessoas querem poder escolher entre vários estilos de cerveja” “As pessoas querem poder escolher entre vários estilos de cerveja”

“As pessoas querem poder escolher entre vários estilos de cerveja”

Conversa com Tiago Castel-Branco, um dos responsáveis pelo Duque Brewpub, o primeiro bar a produzir a sua própria cerveja artesanal em Lisboa.


Publicado em 27-Out-2021

Nunca perguntem a um cervejeiro qual é a sua cerveja preferida, porque não terão uma resposta clara. Tiago Castel-Branco não será exatamente um cervejeiro, “apenas” um dos sócios do primeiro BrewPub, mas para o efeito vai dar ao mesmo, pois responde-nos imediatamente com um “não tenho uma cerveja preferida”, acrescentando: “a escolha vai depender muito da ocasião”. Ou seja: “Se estiver frio, sou capaz de escolher uma cerveja mais pesada, com mais teor alcoólico. Se for comer carne, então vou mais para uma IPA… ” Tem uma mente tão aberta que é até capaz de “beber uma cerveja industrial, se estiver num restaurante qualquer, com amigos”.  

Essa é a grande conclusão que retira desta recente moda da cerveja artesanal: “os portugueses queriam ter esta escolha. De não estarem dependentes apenas de duas pilsner industriais” E as principais marcas também já o perceberam, pois  “oferecem agora vários estilos em bares e restaurantes”.

De facto, o advento das cervejas artesanais trouxe uma profusão de tipos de cerveja nunca antes vista em Portugal – tal como pode acompanhar melhor neste nosso artigo sobre o tema. E o Duque BrewPub fez (e faz naturalmente) muito por esse movimento.

Um Brew Pub é, como vimos, um bar que produz e vende a sua própria cerveja artesanal – que não pode ser vendida em mais nenhum lugar. Isto significa quem quiser provar estas batches, ou lotes de cerveja, terá mesmo de se deslocar ao “Duque” e,  convenhamos, há tarefas bem piores….

“As pessoas querem poder escolher entre vários estilos de cerveja” | Unibanco

O Duque começou por abrir portas em 2016, num triangulo perto da Trindade. Hoje em dia serve seis cervejas próprias, todas em torneira – e receberam muito recentemente “novos brinquedos” para produzir ainda melhor. Por aqui podemos encontrar uma Pale Ale mais amarga, daí o nome, Amarguinho. Uma Blonde Ale, leve e fresca, que responde por Aloirado. Ou uma White Stout, com café brasileiro e cacau de São Tomé. Complexa e rica, ganhou o nome de Albino.

Em garrafa podemos encontrar muitas mais cervejas artesanais, todas de marcas portuguesas, e para acompanhar tanto líquido, uma mão cheia de tostas e petiscos deliciosos. Por isso não se acanhe e faça-lhes uma visita, mas não sem antes ver e ouvir esta nossa conversa com Tiago Castel-Branco.

Por C-Studio / Cofina Media