Samsung Z e iPhone 14: os telemóveis do momento Samsung Z e iPhone 14: os telemóveis do momento

Samsung Z e iPhone 14: os telemóveis do momento

min de leitura

Samsung vs. Apple, Android vs. iOS, foldable vs. tradicional. Estes são os telemóveis do momento, mas qual será o melhor para si?


Publicado em 19-Set-2022

Samsung e Apple disputam há muito o topo do mercado dos smartphones, e nesta segunda metade do ano são mais uma vez as duas companhias a apresentar as propostas mais interessantes do mercado. A Samsung com a linha Galaxy Z, os telemóveis dobráveis, e a Apple com a mais recente linhagem do tradicional iPhone. São por certo muito apetecíveis, mas caros, também, por isso a pergunta que se impõe é esta: o que podem fazer por si?  Foi o que fomos analisar.

iPhone 14 Pro

Desafiamo-lo a perceber as diferenças de design entre este iPhone 14 e o 13… Quando as capas do antigo servem no novo está tudo dito. Mas, olhando com mais atenção, é possível perceber uma grande diferença: a famosa notch, a monocelha negra no topo do ecrã desapareceu finalmente, substituída por uma versão mais discreta, mas essencialmente interativa. Uma mistura de hardware com software que passa a ter um comportamento dinâmico, apresentando notificações ou funcionando como widget, aumentando e diminuindo consoante as necessidades. Ganhou até um nome, “ilha dinâmica”, é uma das maiores novidades do 14 Pro e veio certamente para ficar.
Sabemos, também, como o novo processador “é o melhor de sempre num iPhone” (para a Apple são sempre), mas desta vez esse poder de computação está realmente a ser utilizado para melhorar a qualidade das fotografias e dos vídeos em tempo real, tratando cada píxel individualmente e permitindo imagens mais nítidas, com melhor cor e detalhe do que até aqui. Para mais, a lente principal tem agora um sensor maior, que consegue captar ainda mais luz e informação. O iPhone 14 Pro deu um salto qualitativo muito grande.
A Apple vangloria-se evidentemente de mais algumas novidades (como a possibilidade de realizar chamadas de emergência por satélite, ou emitir um alerta em caso de colisão, e algumas nem se entendem, como é o caso do ecrã sempre ligado, algo possível nos Android há muito tempo), no entanto, aquelas duas são definitivamente as características que fazem a diferença no novo modelo. E são ambas exclusivas do Pro, porque, desta vez, a versão normal não apresenta sequer o novo processador A16, mas apenas uma versão “renovada” do A15. Será, provavelmente a maior diferença entre Pro e Normal em qualquer geração de iPhone até agora.

Samsung Galaxy Z 4

Quando parecia que os telemóveis iam ficar todos iguais, surgiram os foldable, com o ecrã dobrável. É óbvio que estamos ainda a falar de um mercado de nicho, mas é-o cada vez menos, e esta nova geração da Samsung promete dar um passo de gigante para encurtar ainda mais essas diferenças − e já vamos perceber porquê. Falamos não de um, mas de dois telemóveis, o Flip e o Fold, e embora tenham isso em comum são na verdade modelos muito diferentes. O Flip é, basicamente um grande smartphone de 6,7 polegadas, que se pode dobrar para caber no bolso, ao passo que o Fold é uma máquina de trabalho, com dois ecrãs, um de 6,2’’ e outro de 7,6’’como num tablet. Por comparação aos modelos anteriores, estão mais leves e mais finos, logo mais práticos, e aumentaram em muito a resistência, que agora até inclui a classificação IPX8, ou seja, podem ser submersos até 1,5 metros durante 30 minutos que não se estragam. Nada mau para um telemóvel que se dobra. Desta vez, também, não houve qualquer tipo de compromisso, nem com o processador, um Snapdragon 8+ Gen 1, nem com as câmaras, que partilham o mesmo sistema do Galaxy S 22+. Sendo que, no caso do Flip 4, oferece ainda outra vantagem, pois o seu formato funciona como um tripé natural, para explorar de muitas formas.
No caso do Fold, de destacar sobretudo a barra de tarefas na parte inferior, à semelhança do Windows, que permite saltar rapidamente entre aplicações, ou afixar várias janelas abertas no ecrã principal − e isso, como se percebe, é fundamental em termos de produtividade. Mas este ecrã maior não funciona só para trabalho e, no final do dia, está mesmo a pedir para ser utilizado para ver um filme, ou jogar um pouco. A qualidade da imagem não tem paralelo.   
Em conclusão, todos oferecem um equilíbrio muito capaz entre vida pessoal e profissional, mas quem aposta mais na imagem e na fotografia deve olhar com atenção para o iPhone, e quem valoriza mais a versatilidade e o multitasking não encontra nada de semelhante aos dobráveis da Samsung.

Conte com uma ajuda especial

Quanto aos preços, sempre um fator decisivo, os Samsung Galaxy Z começam nos 1.149 euros para o Flip 4, e o iPhone 14 Pro nos 1.349 euros. 1.039, para a versão normal. São valores muito elevados, e uma ótima razão para contar com a ajuda do cartão Atitude Unibanco, que permitem dividir esta compra em três prestações sem juros, e ainda receber até 200€ de volta nas suas compras com a Oferta Cashback.

Por C-Studio / Cofina Media

Joana Limão: “Trabalho para ser feliz”

Joana Limão: “Trabalho para ser feliz”

A vida de Joana Limão não dava um filme, ainda é muito nova para isso. Mas tem tantos ingredientes (otimismo, alegria, boa comida…) que merece ser conhecida.
Ouvir