Vitória, Vitória…começou a história! Vitória, Vitória…começou a história!

Vitória, Vitória…começou a história!

Vitória, Vitória…começou a história!

Todos os dias, os voluntários da Nuvem Vitória contam histórias a crianças hospitalizadas, levando-lhes algum conforto e alegria. Uma missão ultra preciosa.


Publicado em 22-Dez-2020

Todas as noites, de segunda a sexta-feira, os voluntários da Nuvem Vitória contam histórias de embalar a crianças internadas em enfermarias pediátricas iu outras instituições. As crianças estão privadas do seu ambiente de conforto e “um voluntário serena o ambiente, cria uma ‘bolha’ de magia e as crianças sentem isso” explica-nos Fernanda Freitas, mentora deste projeto único e inovador. Mesmo a nível mundial.

 “Apesar de não criarmos vínculos emocionais sentimos que o nosso trabalho promove o bem-estar de todos os que estão no quarto”, prossegue, pois numa situação de evidente fragilidade estas histórias têm um efeito tranquilizador, e algumas crianças embalam mesmo até adormecer, tendo por consequência ser um projeto “muito acarinhado pelas pediatrias e, claro, pelas crianças e cuidadores, que sentem aquele mimo no final de um dia.”

A Nuvem Vitória foi criada em 2016 e desde então a associação cresceu no número de voluntários e nos núcleos afetos aos vários hospitais portugueses. Atualmente são 10, albergando 540 voluntários, que já contaram 54.845 histórias em 22.313 horas de voluntariado. “Impactámos 32.720 internamentos” acrescenta, e apesar da frieza dos números estes transmitem bem o alcance da associação. Ainda assim, Fernanda prefere salientar todos os momentos em que “uma criança vai a correr para a cama porque ‘vem aí a nuvem’ e a seguir à história adormece” para explicar a verdadeira dimensão do projeto.

Infelizmente, o ‘contar histórias’ foi mais uma vítima silenciosa da pandemia, que impediu as “nuvens” de participar em atividades dentro do ambiente hospitalar e obrigando a associação reinventar-se, levando as leituras para o Instagram e o Facebook “onde todas as noites publicamos uma história contada por um dos voluntários. Até ao momento contamos com quase 900.000 visualizações”

Esta noite de Natal vai acontecer um momento muito especial, pois nas redes sociais da associação 240 “nuvens” vão ler, em conjunto, uma história de Natal escrita por Alice Vieira.

Fernanda Freitas, que muitos ainda conhecem como jornalista da RTP e da SIC, explica que a associação “resultou da união de várias vontades: de pessoas que já faziam voluntariado pediátrico hospitalar, mas que não tinham hipótese de se juntar a nenhum projeto devido aos horários habitualmente propostos.” Assim decidiram avançar com uma proposta para criar um projeto piloto no Hospital de Santa Maria em Lisboa, “de forma a validar o interesse e o impacto de ler histórias à noite – que é, normalmente, a altura ideal para os mais pequeninos.” Entre a ideia e a validação no terreno do projeto demorou mais ou menos um ano, na altura com 24 voluntários.

Vitória, Vitória…começou a história! | Unibanco

Todos sabemos a importância de uma boa noite de sono para o bem-estar geral e por maioria de razão num ambiente de fragilidade. Em “tempos normais” os voluntários entram nas enfermarias pediátricas aos pares, “ninguém entra sozinho”, e as histórias são contadas à cabeceira de cada cama “adaptando a história escolhida à idade da criança. Geralmente cada voluntário leva um saco com as histórias que gosta de ler (naturalmente cada contador tem as suas histórias preferidas), mas esse processo de seleção é uma das partes mais importantes da nossa formação, “porque ter jeito para contar histórias nem é sequer a parte mais importante na escolha dos voluntários. “Isso treina-se” diz, antes de destacar a responsabilidade para cumprir este compromisso com rigor e pontualidade, assim como um perfil indicado para trabalhar em pediatria, algo que “não é para todos”.

A Associação já recebeu como reconhecimento o selo de qualidade na gestão do voluntariado e o apadrinhamento do Presidente da República, e para saber como ajudar e participar também neste sonho – pode seguir este link. Lembrem-se é Natal!

Por C-Studio / Cofina Media