Vamos ensinar o valor do dinheiro aos filhos Vamos ensinar o valor do dinheiro aos filhos

Vamos ensinar o valor do dinheiro aos filhos

Ensinar a gerir e poupar pode ser uma tarefa difícil, pelo que a chave será fazê-lo de uma forma simples e divertida, mas importante, pois assim estamos a prepará-los para o futuro.


Publicado em 15-Jun-2021

Sabia que os primeiros porquinhos-mealheiro não eram porquinhos de todo? O conceito terá nascido em Inglaterra, por volta do século XV, e tratava-se de potes de barro, onde se guardavam as (poucas) moedas que conseguiam juntar. Como esses potes eram geralmente feitos de argila laranja, que tinha então o nome de pygg, os potes ganharam rapidamente a alcunha de pygg banks e a fonética acabou por lhes dar a forma do animal gorducho (pig = porco) que hoje conhecemos. E as crianças adoram.  

Num mundo onde o apelo ao consumo é uma constante, transmitir ensinamentos como a importância de economizar nem sempre é fácil. Sintomaticamente, tornou-se frequente ouvir uma criança responder aos pais “podiam pagar com o cartão” quando lhe é negado qualquer pedido, alegando precisamente falta de dinheiro. A afirmação é compreensível numa criança pequena, afinal, não são obrigadas a saber que o dinheiro não nasce das árvores, e que é ganho com esforço através do trabalho, por isso é tão importante começar esta educação financeira desde a mais tenra idade.

Vamos ensinar o valor do dinheiro aos filhos | Unibanco

Peguemos por isso no colorido porquinho-mealheiro, pois assim será muito mais fácil convencê-los a guardar os presentes (monetários) que receberam pelos aniversários e pelo Natal. Caso seja necessário pode até estabelecer-se um objetivo ulterior, como uma viagem à Disney ou outra meta valorizada. Servirá, também, para ensinar a gerir a semanada, alertando para os perigos do “gastar tudo de uma vez” e, pelo contrário, para as vantagens de “esticar o dinheiro”. Permite até promover valores de solidariedade, se procurar que os filhos partilhem parte dos “ganhos” com crianças mais desfavorecidas, ou ajudando a salvar um animal em perigo de extinção.

O mealheiro – já agora, os franceses contestam a versão inglesa da história, alegando ter sido inventado pelo engenheiro Sebastian la Pestre – tem sido o tradicional aliado dos pais nesta tarefa, mas felizmente já não é o único, pois recentemente a consultora financeira Carina Meireles criou o blogue Milla & Família, precisamente para descomplicar as finanças no mundo das crianças. Deixem-nos, por isso, apresentar Milla, uma jovem muito curiosa, sempre pronta para viver aventuras com o seu companheiro Lecas, um divertido e bem-disposto porquinho-mealheiro. Temos ainda o Gutto, irmão de Milla e seu fã número 1, que costuma arranjar uma forma de tornar as histórias ainda mais divertidas, e depois temos, claro, os pais. Poupadinhos, foram eles que ofereceram o Lecas à Milla, e no fim acabam também sempre aprender com as aventuras da jovem.

Vamos ensinar o valor do dinheiro aos filhos | Unibanco

Didático e alegre, o blogue de Carina Meireles é um excelente meio de colocar o tema da educação financeira no radar das conversas com os mais pequenos, independentemente da idade, pois existem histórias adequadas a cada etapa do crescimento. Temos assim as histórias para as crianças darem os seus primeiros passos nestes temas, dos 3 aos 6 anos de idade, dos 7 aos 12, dos 12 aos 15 e dos 16 aos 18 anos, altura em que se preparam para entrar na faculdade e os assuntos ganham outra complexidade. Por isso aproveitem bem estes dias mais compridos para tornar a visita a este site num hábito, e numa brincadeira, tal e qual como um bom jogo de monopólio que, já agora, também dá uma excelente aula de gestão financeira…

Por C-Studio / Cofina Media