Dia da Criança, um bom ano para dar alegria Dia da Criança, um bom ano para dar alegria

Dia da Criança, um bom ano para dar alegria

Vivemos tempos únicos e as crianças são as maiores vítimas colaterais de todo este caos provocado pela pandemia. Por essa razão, neste primeiro dia de junho devemos tentar promover a felicidade. É o mais importante.


Publicado em 25-Mai-2021

 “Grande é a poesia, a bondade e as danças… Mas o melhor do mundo são as crianças” como dizia Fernando Pessoa num célebre poema. E é por todos o sabermos que escolhemos dedicar-lhes um dia, inteiro, só para eles. A ideia nasceu logo após a Segunda Guerra Mundial, como forma de chamar a atenção para as muitas dificuldades que as crianças enfrentavam, e parece-nos que desde então a data nunca fez tanto sentido como agora. Razão mais do que suficiente para celebramos este primeiro dia de junho de forma especial, ajudando as nossas e todas as crianças a ter um dia extraordinário.

Oceanário de Lisboa, Fundação do Gil e Unibanco, juntos por uma causa

Dia da Criança, um bom ano para dar alegria | Unibanco

O Oceanário de Lisboa é um dos locais mágicos da cidade. Reconhecido por três vezes como o “melhor aquário do mundo” pelo Travellers Choice do TripAdvisor, conta com mais de 500 espécies marinhas, entre tubarões, raias, lontras ou pinguins. Tudo dividido por 30 aquários diferentes, embora a atração principal vá naturalmente para o gigante Aquário Central, com 5 milhões de litros de água, que representa a biodiversidade do Planeta Azul – onde todos os oceanos estão interligados num grande Oceano Único.
Ora a partir de hoje, quem adquirir um cartão presente Unibanco Alegria, com um valor mínimo de 10 euros, vai receber um bilhete de criança (dos 4 aos 12 anos) para o Oceanário de Lisboa. Uma oferta que se soma a um desconto de 50% na aquisição do Caderno da Gratidão, criado pela Fundação do Gil, no qual as crianças poderão expressar os momentos mais significativos do seu dia, focando-se sobretudo nos pontos positivos, algo que em tempos de pandemia e isolamento social, assume uma maior importância. Adicionalmente, por cada cartão adquirido, o custo de 2 euros reverte na totalidade para a Fundação do Gil, para que mais crianças possam partilhar desta mesma alegria, pois desde 1999 que a fundação desenvolve um trabalho extraordinário com vista ao bem-estar global das crianças, numa atitude pioneira no desenvolvimento de projectos de saúde pediátrica e de reintegração social.
A campanha é válida até ao dia 17 de junho, e os presentes podem ser gozados até 31 de Dezembro e acreditem, os pequenos vão agradecer.

Os livros são viagens

Dia da Criança, um bom ano para dar alegria | Unibanco

No Dia da Criança” é um livro de Danuta Wojciechowska e Luísa Ducla Soares que fala sobre a infância de crianças em todo o mundo, as alegres e felizes e as que não têm direitos, forçadas a trabalhos pesados e perigosos, obrigadas a combater em guerras, sem ninguém que as proteja. Nada como um livro para fazer a nossa e a imaginação das nossas crianças crescer e também ganhar mais e melhor conhecimento do mundo. Por isso, se ainda não tem a certeza de que forma pode celebrar este dia com os seus filhos, sugerimos que o faça na companhia de um livro. Vale a pena espreitar as promoções de livrarias como a Almedina, a Bertrand ou a Fnac para este dia ou, melhor ainda, fazer uma visita a pequenas livrarias especializadas como a Boabá, It’s a Book, ou Hipópotamos na Lua.

Plantar uma horta e passear a cavalo no Alentejo

Dia da Criança, um bom ano para dar alegria | Unibanco

Esse é o convite do São Lourenço do Barrocal, um hotel de excepção no coração do Alentejo, onde as crianças vão também poder construir casas para pássaros, caçar um tesouro, andar de bicicleta ou passear cavalitas do burro Jerónimo. Depois de concluídas as tarefas, os mais pequenos podem partir à aventura e observar as espécies que sobrevoam e habitam a herdade com a ajuda de um especialista da Portugal Birds & Trails, ou visitar o resto da horta, para perceber a origem da comida que nos chega ao prato.

Um dia com mais animais ainda

No primeiro dia de junho, a festa no Jardim Zoológico de Lisboa começa logo à chegada, com um grupo de cantores a dar as boas-vindas aos visitantes e a animar “a malta”. Depois o Zoo promete continuar a encher o dia das crianças com experiências ímpares. Atividades que vão desde a música às artes plásticas, pinturas faciais, workshops para sensibilizar os mais novos para biodiversidade, encontros com os Exploradores da Natureza, e muito mais.

Óculos de sol

Os olhos das crianças precisam de ser tão protegidos dos raios uv como os nossos, e a maioria das crianças não se importa nada com o estilo acrescido que um par de óculos lhes dá. Por isso a Izipizi recriou estes modelos icónicos em versão mini, mais divertidos, confortáveis e tamanho mais adequado.

Iniciação ao Design

Dia da Criança, um bom ano para dar alegria | Unibanco

Quem consegue resistir ao encanto de um elefante? Personagem famoso de histórias infantis, este animal de grandes proporções vive no imaginário de todos nós, podendo ser um encantador personagem de histórias infantis (como o Babar) ou até tornar-se uma peça de culto. É certamente o caso deste elefante, uma criação de uma das duplas mais admiradas da história do design? Falamos, é claro, do Eames Elephant desenhado em 1945 por Charles & Ray Eames e que pode passar a viver em nossas casas graças à Vitra, marca suíça que o produz em sete cores para alegrar a vida das crianças, mas também a dos seus pais. Porque, na verdade, quem se importaria mesmo de ter este elefante na sala?

Brinquedos Made in Portugal

Esqueça as grandes marcas internacionais e dê um voto de confiança ao que é nacional. Da madeira ao papel reciclado, são vários os brinquedos feitos em Portugal que pode oferecer às suas crianças. A Woodideas, por exemplo, é uma marca de brinquedos artesanais amigos do ambiente, sem químicos adicionados, criada por um casal de biólogos. Feitos em pinho, faia, mogno ou cedro, em grande parte proveniente de excedentes e sem qualquer aplicação de cor, incluem jogos de memória, puzzles, e diversos jogos de formas. O papel reciclado é o material de eleição da Pukaka, utilizado para construir marionetas de dedos a bonecas ou robots de papel e até carroceis! Já para a Elou, é a cortiça quem mais ordena, um recurso valioso português com um processo de colheita ecológico que não recorre ao derrube da árvore. Para além dos materiais e de um design admirável, os brinquedos da Elou são muito direccionados para uma forma de brincar livre e sem regras. E ainda a Matilde Beldroega, uma  marca de bonecos, brinquedos e estampados têxteis, produzidos de forma inteiramente artesanal em fibras naturais e com tintas à base de água. Quase sempre peças únicas ou produzidas em pequenas séries, oferece uma grande variedade de bonecos e animais em tecido e respetivo vestuário

Por C-Studio / Cofina Media