Cerveja e comida, uma grande parceria Cerveja e comida, uma grande parceria

Cerveja e comida, uma grande parceria

Cerveja e comida, uma grande parceria

Ligar cerveja e comida nem sempre é fácil. Mas o prazer que se pode tirar da sua harmonização merece sempre a aventura de tentar. Para que consiga fazer isso com mais facilidade, damos-lhe algumas pistas


Publicado em 07-Mai-2020 por José Miguel Dentinho, jornalista

A cerveja e a comida são grandes parceiras. Não há melhor sensação do que uns simples tremoços com um copo de cerveja Pilsner bem tirada, que também vai bem com camarão da costa cozido ou amêijoas à Bulhão Pato, por exemplo. Principalmente no tempo quente, logo a seguir à praia. Mas conjugar cerveja com a comida não é sempre fácil e as harmonizações não constituem uma ciência exata. É preciso experimentar e testar a ligação para encontrar o melhor equilíbrio. 

Primeiro, tem de saber quais são os principais ingredientes e temperos da receita, para ter um panorama do prato. Depois de este ser cozinhado, é necessário avaliar se a perceção sensorial que temos do conjunto final, prato mais cerveja, quando o degustamos, é melhor que a dada por cada um por si. 

Por vezes o prato e a cerveja possuem elementos que se assemelham e acrescentam sensações à sua conjugação. Mas nem sempre as harmonizações se fazem por semelhança. Há, também, harmonizações por contraste, o que acontece quando as características do prato e da cerveja acabam por valorizar os dois, e harmonizações por corte, por exemplo, quando algumas características da cerveja, como a carbonatação e o amargor, “quebram” a gordura presente num prato, limpando o palato. 

Não se esqueça de escolher o melhor copo para usufruir da cerveja que escolher, porque a sua forma desempenha um papel importante na libertação dos aromas e no modo como o líquido passa pela boca, influenciando a perceção do seu gosto e aroma por cada um de nós. As cervejas Abadia, sobretudo as trapistas, devem ser servidas em cálice largo e aberto, as Lager ou Pils em copos de tronco cónicos e as Stouts em copos cilíndricos. É importante lavá-los com água fria, para evitar que as bolhas se agarrem às paredes, atraídas pelas impurezas.

Cervejola Vinhão Grape Inspired

Criada pela Letra e pela Adega Ponte da Barca, esta cerveja é uma fusão de uma Red Ale com uvas da casta tinta Vinhão, uma das mais características da Região dos Vinhos Verdes. Trata-se de uma cerveja de cor cobre com tons avermelhados, de aroma complexo, fresco e complexo, em que se salientam as notas de frutos pretos, de caroço e secos, algum fumado e especiarias da madeira, numa cerveja volumosa e cremosa, com frescura e final de boca longo, com algumas notas de caramelo. É uma cerveja para os sabores da carne, que combina bem com rojões ou simplesmente com um bitoque. Servir a 8 ºC no copo.

Cerveja e comida, uma grande parceria | Unibanco

Cerveja e comida, uma grande parceria | Unibanco

Bohemia Original

Esta marca, que pode ser adquirida um pouco por todo o lado em Portugal, é uma grande companhia para carnes vermelhas, com ou sem molho, mas também peixes assados no forno, por exemplo. Trata-se de uma cerveja tipo Marzen e, por isso, um pouco mais alcoólica e encorpada. Na boca é cremosa, mostra um aroma frutado com notas de malte torrado e tem um final ligeiramente amargo. Servir a uma temperatura de 6 a 10 ºC no copo.

Cerveja e comida, uma grande parceria | Unibanco

Cerveja e comida, uma grande parceria | Unibanco

Sovina IPA

Esta India Pale Ale de cor âmbar e espuma persistente mostra um aroma marcado pelas notas florais e frutadas do lúpulo. Na boca, longa e persistente, tem um amargor equilibrado que contribui para ser uma grande companhia de carnes e peixes temperados com molhos picantes, queijos fortes e até de frango assado na brasa, com batata bem frita e uma bela salada montanheira, que foi o que fiz. Servir a uma temperatura entre os 6 e os 10 ºC no copo.

Cerveja e comida, uma grande parceria | Unibanco

Cerveja e comida, uma grande parceria | Unibanco

Selecção 1927 Bengal Amber IPA

Cerveja de cor âmbar e espuma persistente, mostra um aroma intenso no qual se salientam notas florais e herbáceas, citrinas a lembrar pomelo e limão e de frutos tropicais como a papaia. Na boca é amarga, maltada e especiada, com uma nota frutada no final. Para comidas picantes há que escolher cervejas com maior amargor, por causa da sinergia positiva entre o picante e o amargo, que melhora o prazer que se retira de uma refeição deste tipo. Experimente-a com caril de camarão, por exemplo. Servir a uma temperatura de 7 a 10 ºC no copo.

Cerveja e comida, uma grande parceria | Unibanco

Cerveja e comida, uma grande parceria | Unibanco

Por C-Studio / Cofina Media